quinta-feira, 25 de junho de 2015

MAR DA CALHA


Foi bom ver o S. Jorge à pinha para ver o documentário "Mar da Calha", aliás os bilhetes esgotaram a meio da tarde o que quer dizer que 900 pessoas marcaram presença numa noite de cinema. O documentário está muito fixe, boa fotografia, bons depoimentos e uma bela história centrada num dos nossos melhores bodyboarders da actualidade, Hugo Pinheiro. A realização é do Gustavo e do Diniz, que repetem assim a brincadeira que fizeram com o Nicolau von Rupp, de parabéns também está o MTN e o Hugo Silva, congrats boys!! Ironicamente este documentário é todo centrado numa zona do país que normalmente tem fama de ter ondas moles e para iniciantes, aqui a Caparica mostra as suas garras com o inicio do filme a mostrar a cova do vapor e a acabar em ondas indescritíveis ao pé do farol do Bugio. A Caparica que normalmente não entra das guerras de "capitais do surf" e afins, mostra aqui que provavelmente é das zona com mais potencial de surf de todo o país e a mais surfada durante os 365 dias do ano. Na minha opinião e ao contrário do que ouvi muito a ser dito ontem, a afluência de pessoas não se deveu exclusivamente ao facto de os bodyboarders serem muito unidos. Óbvio que isso ajuda, mas penso que a afluência brutal se deveu a juntarem surfistas e bodyboarders numa causa comum... Um produto de qualidade!!! Deveu-se também ao facto da costa lá ter estado em peso e porque muitos de nós que começaram a surfar lá, sempre olharam para esta onda e se perguntaram... será surfavel? Pelos vistos é, mas não é por qualquer um.

terça-feira, 23 de junho de 2015

NO PHOTOSHOP!


Pierre Winther é um fotógrafo à antiga... Não há cá pós-produção nem photoshop à mistura. Winther gosta de criar as imagens directamente na sua máquina, sem manipulações, apenas dando azo à sua imaginação, muito fértil, diga-se de passagem. Winther trabalha em parceira com os seus clientes, propõe, imagina, recria... Faz desta maneira há mais de 30 anos e dispara dizendo que com uma 5D e um programa de pós produção tudo é possível, ou quase tudo. Ele acaba por fazer tudo na mesma, com uma linguagem cinematográfica brutal e com cores muito saturadas, Winther capta momentos únicos e intensos. Dêem uma voltinha no site dele e se for muito rápido para vocês, façam pause no lado de cima à direita, fica mais fácil:)

segunda-feira, 22 de junho de 2015

A FRUSTRAÇÃO DO ESCRITÓRIO

Quem nunca se sentiu frustrado com mil e uma coisas do nosso dia a dia, que por uma razão ou por outra não nos deixam avançar. A agência Derrick Lin, fez uma campanha com miniaturas onde retrata situações do dia a dia. Todas as fotografias foram feitas com iphone.

quarta-feira, 17 de junho de 2015

GANGS OF NZ


Excelentes fotografias de Jono Rotman que andou 8 anos com um dos mais temíveis gangs da Nova Zelandia. Suponho que não deve ter sido um trabalho fácil, até porque segundo o próprio a fronteira entre ser morto e ficar vivo estava bem marcada, bastava não a passar. As fotografias são incríveis e estão expostas na City Gallery Wellington. Eu espero sinceramente que saía em livro para encomendar um. Entrevista aqui...

terça-feira, 16 de junho de 2015

SURF PROIBIDO E UM PAÍS SEM NEXO


E eis que proibiram o surf em algumas praias de Aveiro... para (in)segurança dos banhistas. Embora muitas pessoas não tenham noção, os surfistas fazem mais salvamentos por ano do que os nadadores salvadores, que isto fique bem claro. Vigiam mais que os nadadores salvadores e conhecem melhor o mar do que eles. Contra este facto não há argumentos, é a pura das verdades. Por outro lado compreendo que nos dias de verão com milhares de banhistas e centenas de aspirantes a surfistas a coisa se torne complicada, mas a proibição não é a solução. Podem-se criar zonas na praia para todos conviverem pacificamente. Este excesso de zelo, mais uma vez é sempre aplicada aos mesmos, por acaso alguém se lembra de proibir aquelas canoas que vão apanhar ondas e que na maior parte das vezes não se conseguem desviar de ninguém, ou proibir o kite surf que geralmente são manobrados por uns idiotas que não têm o mínimo de controle nas pranchas nem têm o bom senso para perceber que andam a cms de magoar alguém seriamente? Isto não é um país, é uma anedota. É uma anedota que se aproveita do surf para erguer a bandeira do turismo mas que não cria condições aos surfistas (ex: duches e segurança), é uma anedota que proíbe o surf com um patrocinador que também patrocina campeonatos de surf. É uma anedota que quando vir os banhistas a irem-se nos agueiros vai querer voltar atrás na decisão e já é tarde demais. Nós acabamos por ser também uma anedota, porque acreditamos que estão todos aí para nos ajudar, o que é uma grande mentira. Nunca vamos ser ajudados por alguém que não sabe o que é dormir salgado depois de um dia de surf, nunca vamos ser ajudados por alguém que não sabe o que é vestir um par de meias com areia nos pés e chegar à cama e ainda estarem restos de areia do dia anterior. E para quem não percebe isto, eu explico... Não tem a ver com higiene, tem a ver com a areia se entranhar em tudo o que é sitio e nós simplesmente não nos preocuparmos com isso. Porquê? porque há coisas mais importantes na vida, como por exemplo.. quinta feira voltar a dar umas ondas ;)

quinta-feira, 11 de junho de 2015

FOTO DO ANO - ONDAS DE OURO


E pronto, o troféu veio para casa comigo:) Admito que não gosto de concursos e tenho sempre algumas dúvidas quando as votações são submetidas a público. Às vezes é injusto para quem ganha e para quem perde. Gosto de acreditar que desta vez foi justo. Justo porque sempre defendi que a "Foto do Ano" não tem que ser uma foto bonitinha, a foto do ano tem de reflectir um acontecimento importante no ano que passou. Um momento, uma emoção... Esta fotografia além do surf e das ondas tem algo que eu considero muito importante, a amizade, o respeito, a solidariedade e a coragem!! Esta fotografia é um salvamento do Eric Rebiere ao Benjamin Sanchiz, dois gigantes das ondas grandes. Esta fotografia sintetiza o que é o espirito das ondas grandes e eu mostro-a em demonstração do respeito gigante que tenho por estes dois surfistas e por todos os surfistas de ondas grandes do mundo!! Mostro-a também em demonstração do respeito enorme que tenho pela amizade!! Aquele sentimento igual ao amor! Obrigado a todos os que votaram, na verdade este prémio também é vosso. Obrigado ao Twiga e à Kia, aos júris que puseram a foto na final e a todos os meus amigos e família que me deram força. Gostaria também de deixar um abraço a todos os fotógrafos que concorreram e não chegaram à final, alguns deles mereciam ter disputado o prémio final. Parabéns também a todos os outros nomeados que estiveram lá ontem. Receber este prémio na primeira gala feita em Portugal é um orgulho enorme mas acima de tudo o maior orgulho é receber um prémio e ser reconhecido por fazer uma coisa que amo!!! Nunca desistam dos vossos sonhos...

quarta-feira, 3 de junho de 2015

O SAL DA TERRA


Penso que quase todos devem conhecer o grande fotógrafo Sebastião Salgado. Se não conhecem, deixem-me que vos diga que é uma falha enorme mas podem sempre redimir-se e ver o excelente documentário do Wim Wenders "Sal da Terra". Muito resumidamente, Sebastião Salgado nasceu no Brasil, estudou economia e foi para Paris com a sua namorada que ia estudar arquitectura. Numas férias agarrou na máquina da namorada e nunca mais parou de fotografar... Em 1996 lançou o projecto "trabalhadores" que é um trabalho incrível, com fotografias impressionantes nas minas de ouro no Brasil. Sempre a trabalhar em equipa com a sua mulher, Sebastião Salgado viveu anos em campos de refugiados para fotografar a miséria humana e também o esforço dos Médicos sem Fronteiras, a quem aliás ele se juntou nestes trabalhos. Foi no Ruanda, que Sebastião Salgado desistiu do ser humano e de o fotografar. "Os humanos são maus, são violentos" diz ele a certa altura do documentário. É a pura das verdades e eu nem precisei de presenciar um terço do que ele presenciou para perceber isso. Aliás Bastou-me ler ontem meia dúzia de comentários no facebook de um idiota para perceber que o que move as pessoas é mais o ódio que outra coisa qualquer. Sebastião Salgado desencantou-se de fotografar as pessoas, fez uma pausa e dedicou-se a replantar uma floresta na fazenda do seu pai. Foi na natureza que se reencontrou e voltou a fotografar. Gênesis é o seu último projecto (em exposição na Cordoaria Nacional), é sobre os animais, sobre a terra e as fotografias são incriveis!! Passem se conseguirem na Cordoaria Nacional até 2 de agosto salvo erro, melhor ainda comprem o livro que vale bem os 50€ e não percam o documentário!! Boas fotos :)