quarta-feira, 29 de julho de 2015

QUEM É NICCOLO PORCELLA??

Acho que esta é a pergunta que todos fizeram depois de ver as últimas filmagens do Tahiti!! Será Niccolo Porcella mais um louco em busca de protagonismo? que arrisca a vida para ser noticia em tudo o que é sites? ou é mais um louco (porque louco é de certeza) que apenas persegue emoções fortes e que é viciado em adrenalina? Depois de ler a sua entrevista e passear pelo seu facebook, apostaria na segunda opção. Niccolo, faz kitesurf, wakeboard, surf e wingsuit!! O homem basicamente vai a todas e sempre no limite. Nesta ultima sessão em Teahupoo,Porcella deu o que provavelmente é considerada a maior queda de sempre numa onda e se não é a maior queda está seguramente no top 5 de sempre. Honestamente, pensei que ele estivesse todo partido, mas ao que parece, depois de ter rebolado contra o recife e ter voltado à superfície a cuspir sangue, ainda arranjou forças para ir apanhar mais uma bomba e dizer à boca cheia que foi o dia mais feliz da vida dele, apenas superado pelo dia em que casou com a sua mulher. Podem ver mais sobre ele no site oficial, instagram e twitter, não deixem de ver o filme em baixo, que é simplesmente incrível. foto: Tim McKenna and William Wilson
Teahupoo Orange Code July 2015 from Timothée PRUVOST on Vimeo.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

BABIES


Já imaginaram como 4 bebés de sítios completamente diferentes nascem, crescem e se desenvolvem? Thomas Balmès fez um excelente documentário sobre esse tema. Thomas seguiu desde o nascimento até ao primeiro ano de vida um bebé na Mongólia, outro em Tokio, outro na Namibia e o último em S. francisco. Na Namibia e Mongólia os bebés são de áreas rurais, sem acesso a tecnologia nem tão pouco seguem os padrões de segurança e higiene dos outros, não sendo por isso menos felizes ou saudáveis. É incrível como o puto da Mongólia gatinha entre vacas e cabras, como o da Namibia mete à boca tudo o que lhe aparece e os das cidades vivem nalguns dos sufocos a que estamos habituados. Engraçado também, que o puto da Namibia é o que tem o mar mais nutrido o que tem mais destreza de movimentos mas dos últimos a começar a andar. A interacção com os animais é fantástica, seja no meio do campo ou nos apartamentos e curiosamente o gato é o animal comum entre todos eles. Aconselho a verem, quem é pai vai certamente mudar a perspectiva de olhar para os bebés, quem não é vai-se deliciar na mesma. O filme não tem diálogos, quase não tem adultos, mas tem uma energia inacreditável.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

SHARK 0 FANNING 1


Esta não podia deixar passar, apesar de andar em tudo o que é perfil de facebook e noticias. Simplesmente incrível o que aconteceu ontem na final de J Bay... Fanning atacado em directo por um tubarão e a sair ileso, mas um com um susto que ainda hoje lhe deve dar pesadelos. Bom pormenor também do realizador que deixou o plano bem aberto enquanto Fanning fugia do tubarão, afinal uma morte em directo num plano fechado era chocante demais. Horas mais tarde, com todos a salvo libertaram o plano fechado dele a nadar. Realmente surfar ali é um risco e se calhar até é de admirar que isto ainda não tenha acontecido mais vezes, quantos de nós não atrofiou já com presenças estranhas no mar? um toque subtil nas pernas de uma alga ou um peixe mais curioso que nos deixaram gelados... agora imaginem isto!! ouch... Está tudo bem quando acaba bem... e estas imagens fizeram com que se olhasse para o surf de outra maneira, e não querendo fazer uma comparação disparatada, cada vez acho mais ridículo ver os jogadores de futebol a chorarem porque levaram um empurrão... ppfftttt

quinta-feira, 16 de julho de 2015

INDIANA JONES E A NIKON F3


Hoje em dia ver um filme cheio de efeitos especiais e soluções brutais de filmagem, é coisa que não me surpreende e dificilmente me encanta. Criou-se um hábito de uso excessivo de efeitos especiais que tornam os filmes poucos reais. Mas recuando 32 anos, sim 32 anos, as coisas eram muito mais complicadas e implicavam uma dose de criatividade e de desenrascanço brutais. Neste caso particular, o filme de "Indiana Jones e o Templo Perdido", há uma cena que ninguém se esquece, a famosa perseguição dentro da mina! Aquilo deixava-nos com os nervos em franja de tanta acção que tinha. Eu sempre pensei que tivesse sido filmado da maneira tradicional, mas andava há uns dias a navegar pela net, quando deparo com este artigo, onde explicam que essa cena foi toda filmada com uma NIKON F3! Para quem está fora, a NIKON F3 é uma máquina fotográfica, actual há 32 anos, numa altura em que ninguém pensava em vir a filmar com máquinas fotográficas. A cena foi toda filmada em stop motion e aqueles 15 segundos de pura acção demoraram 4 meses a serem filmados a 24 frames por segundo. Essa máquina foi vendida em 2011 por 10.100$ Vejam o filme com o George Lucas a explicar o processo. E continuo a achar, que quanto menos meios temos, mais criativos somos obrigados a ser :)
 

terça-feira, 14 de julho de 2015

FUCK FIGHTERS .|.


Depois de um concerto onde o vocalista parte a perna, vai ao hospital meter gesso e volta para acabar de cantar numa cadeira de rodas, pensei, RESPECT!! É daqueles casos raros de agradecimento ao público e puro profissionalismo de que já não estamos à espera. Ontem estou a ler as noticias e não acredito no que leio, em relação a essa mesma banda e o que pretendem fazer aos direitos de fotografia. Basicamente todos os fotógrafos que pedem acreditação para fotografar a banda, têm de assinar um contrato de cedência total de direitos a favor da banda. Por exemplo, eu vou fotografar o concerto (ou aquelas 3 músicas que eles deixam) publico a fotografia uma vez num jornal e a partir daí os direitos das fotos são dos Foo Fighters que as usam no que quiserem e bem entenderem. Se este discurso viesse de um empresário, que normalmente estão mais interessados em sugar tudo o que mexe do que propriamente contribuir para que todos possam trabalhar como deve ser, ainda podia entender. Agora quando estas medidas vêm de uma banda, que por sinal até cobram direitos de autor cada vez que as suas músicas passam em algum lado, ou em algum filme... Não compreendo e acho uma falta de respeito. Pessoalmente estou-me a cagar literalmente para os Foo Fighters e para todas as bandas com posturas destas, mas é mais um prego para o caixão da profissão de fotógrafo. Quando é que os organizadores de eventos e as próprias bandas percebem que sem fotos eles pura e simplesmente não existem!?! Sem fotografias não divulgação, não há promoção, não há entrevistas... NÃO HÁ NADA!! :) O Washington City Paper, fez melhor e deu-lhes a volta, em vez de terem enviado um fotógrafo enviaram um cartoonista e ainda puseram a correr um anúncio onde dizem que pagam por fotos do público e não exigem os direitos das mesmas! Ora tomem lá e embrulhem! :)

quinta-feira, 9 de julho de 2015

O CONTABILISTA FOTÓGRAFO


Lee Jeffries é contabilista durante o dia e fotógrafo durante a noite. Jeffries tornou-se conhecido com o trabalho que tem vindo a desenvolver com os sem abrigo. Começou por Londres e rapidamente se espalhou pelo resto do mundo. Jeffries, tem algumas particularidades, nunca fotografa com flash e usa sempre uma 24mm e reflector, o seu equipamento é básico, a sua visão não é... E é isso que gosto num fotógrafo, um bom olhar e criatividade. Cada vez mais vejo nos forúns e em grupos de fotografia que as pessoas, continuam obcecadas em ter o ultimo modelo de máquina, que continuam aflitas com os megapixeis que as máquinas fazem... vejo muito poucos preocupados em ter um olhar original, é pena. Lee Jeffries, enturma-se com as comunidades dos sem abrigo, fala com eles, tenta conhecê-los... só depois os fotografa. Começou por fotografar desporto até que um dia fez a fotografia da rapariga sem abrigo, que acabou por lhe mudar a vida completamente. As fotografias são muito fortes e intimas, embora tenham uma boa dose de pós produção. A mim transmitem-me a dignidade que muitas vezes os sem abrigo não conseguem mostrar, embora seja um tema batido aqui está visto por outro ângulo, um ângulo humano. É que fotos à sucapa de sem abrigos a dormirem na rua... são fáceis de fazer e não trazem nada de novo. Vejam as fotos dele e uma entrevista aqui, vale bem a pena.

terça-feira, 7 de julho de 2015

ADEUS D. ANA


clap clap clap a esta merda de dirigentes que continuam a permitir atrocidades deste género no nosso Portugal. Não basta que no decorrer das últimas décadas tenham destruído o Algarve praticamente todo, para não falar no resto do país, hoje continuam a fazer questão de ir aos poucos sítios ainda preservados e meter lá as suas mãos maquiavélicas. Eu vivi a degradação da Praia da Rocha, há 39 anos que os vejo a transformar aquilo que era uma simpática vila, num albergue de "monos" gigantes, horríveis e desocupados. Agora chegou a hora de destruírem uma das mais belas praias de Lagos. Porquê? não sei... provavelmente porque precisam de mais espaço para os turistas. É revoltante perceber que estamos entregues a burros, que ainda não conseguiram entender que o que é maravilhoso no nosso país é a sua genuinidade!! Quando perceberem que ninguém quer um país fabricado e adaptado aos estrangeiros não há volta a dar. Portugal vale por si só, pelas tascas, pela boa comida, pelas praias naturais e com rochas... sim rochas seus imbecis!!! As rochas são bonitas! são nossas... Já agora preparem-se pois em Odeceixe também andam a improvisar, numa zona que supostamente é paisagem protegida... desculpem, desprotegida. A estupidez humana realmente não tem limites e nós que nos aguentemos, para não variar.