sexta-feira, 17 de abril de 2015

O BEIJO


Poderia dizer mil coisas desta fotografia do beijo, que durante anos também conviveu comigo em casa do meu pai. A quantidade de vezes que olhei para ela não se pode contar... foram vezes demais. Em vez disso aconselho-vos a lerem a crónica do João Taborda da Gama a respeito desta mesma fotografia. Haverá melhor elogio ou homenagem para um fotógrafo do que uma pessoa ter uma foto sua na parede da actualidade,oto e outras do meu pai, incontornávelmente um dos melhores fotógrafos que já tivemos e que admiro orgulhosamente, faz-me pensar se hoje em dia as pessoas saberão realmente o que é uma boa fotografia em vez de uma fotografia bonita. A fotografia vai perdendo um pouco da sua magia pela sua banalização, tal e qual como o beijo...

quinta-feira, 16 de abril de 2015

A TAP


Nunca escrevi nada sobre a TAP até porque nunca tive nada a dizer, nem bem nem mal enquanto companhia aérea. Viajo na TAP como viajo em qualquer companhia, não sou patriota ao ponto de escolher uma companhia por ser Portuguesa, pelo contrário, deixo de a escolher quando me presta um mau serviço. Por exemplo, não viajo na Ibéria porque são uns grandes chulos e chegam a levar 300€ por prancha de surf em cada trajecto. Fora isso, desde que seja segura e confortável estou lá. Se não for confortável que ao menos seja muito barata, tipo Rayanair que nos leva e traz ao Porto por 6€. No entanto, esta segunda feira apanhei um avião da TAP no Panamá em direcção a Lisboa. Estamos a falar de uma viagem de 9h, onde o conforto e algumas comodidades são incontornáveis, principalmente não se tratando de uma companhia low coast!! Além das habituais confusões por excesso de passageiros (30 a mais para os lugares disponíveis) e consequente atraso, reparei que muito mais de 50% das televisões (que já eram ridiculamente pequenas) não funcionavam. Tudo bem que podemos sacar do nosso livro e ler, mas durante 9 horas? não há olho que resista. Os bancos do avião, deviam ter décadas. A julgar pela sua dureza e tamanho deviam ser do tempo em que as pessoas tinham 1,50m e eu sou um gajo baixo! As hospedeiras com um nariz empinado que quase batia no tecto do avião, ao ponto de gentilmente as chamar a 1 metro de mim e não responderem sequer, visto que o seu trajecto acabava a 3 cadeiras de onde eu estava sentado. Se calhar ainda vinham a pensar nas férias que tiveram no Panamá... É que caso não saibam são 5 dias de escala forçada num bom hotel qualquer da cidade do Panamá, a ganharem ao dia e ainda a se poderem acompanhar por um amigo ou amiga. Vá lá... todos gostamos de viajar com amigos, mas sendo a TAP uma empresa do estado com prejuízos brutais não seria sensato diminuir custos e algumas regalias? Não me choca, até porque já me tocou, fazerem upgrades para executiva quando há lugares livres, mas estadias de uma semana para estarem de férias? Estou-me um bocado nas tintas para se a TAP é vendida ou não, mas custa-me saber que uma empresa que acumula dividas ao estado não faça o mínimo para contrariar essa tendência. Que não se esforce para deixar os seus clientes satisfeitos e que não reduza as estadias da tripulação. Parece-me que 5 dias é excessivo para recuperar de uma viagem e talvez se poupassem nessas pequeninas coisas, poderiam ter mais conforto para oferecer aos passageiros. Ou no mínimo que as hospedeiras deixassem a prepotência de lado e viessem falar connosco com uma disposição de quem esteve uma semanita a apanhar praia. Tenho muitos bons amigos e amigas que trabalham na TAP, isto não é um ataque aos trabalhadores da TAP, mas o justo acaba por pagar pelo pecador. Esta viagem foi vergonhosa em tudo. No tratamento aos passageiros por parte da tripulação, no conforto do avião, na desorganização total que se fazia sentir a bordo. Já na viagem Lisboa - Bogotá uma semana antes, tudo correu bem num avião bastante confortável com uma simpática tripulação a bordo. Posso ter tido azar, mas quando se tem uma profissão que é servir e não ser servido, há falhas que não se pode ter. Ninguém vai a um restaurante caro para ser mal servido, certo? ps: se calhar os passageiros deviam fazer greve à TAP a ver se melhoram os serviços ;)

quinta-feira, 9 de abril de 2015

NOMEAÇÃO XXL


É sempre bom estar noutro continente e receber um email a dizer que a minha foto do Ross Clark Jones na Nazaré foi escolhida para estar presente e impressa na gala dos prémios XXl. Também eu tenho direito a estar presente e a levar um amigo à Califórnia "As a nominee you are entitled to a prime seat in the front tier for you and a guest. You are welcome to invite as many friends and supporters as you would like to attend the event, they will just have to sit a bit further back in the venue once the show starts." Infelizmente nessa data estarei na Ásia em trabalho. Seja como for sabe sempre bem a foto ter sido escolhida não apenas pelo seu tamanho ainda para mais num dia em que estavam uns 500 fotógafos atrás deste momento. Já agora... Ross Clark Jones, vê lá se trazes o caneco!! :)

segunda-feira, 30 de março de 2015

PERDIDAS E ACHADAS


Há não muito tempo vi um post no facebook acerca de uma foto que nunca saiu em nenhuma revista e o autor, ou um amigo dele (já não me lembro), mostrava a sua indignação por isso. Lembro-me de ter escrito, que isso faz parte de quem fotografa. Todos os fotógrafos têm milhares (não estou a ser irónico) de fotografias em backup que não fazem a mínima ideia porque nunca viram a luz do dia, ou nunca foram impressas em nenhuma publicação e provavelmente nunca vão ser. No caso da foto desse post até é compreensível, era um surfista estrangeiro não muito conhecido, numa onda com vento e não muito perfeita (num sitio onde é suposto ser tubular)... esses dois argumentos quase que dão para convencer o fotógrafo, mas mesmo assim às vezes custa aceitar. De resto já todos vimos fotografias serem recusadas pelos meios sem percebermos porquê, sendo ainda mais difícil de perceber quando umas edições depois, ou até mesmo na mesma, saem fotografias completamente desfocadas, mal enquadradas e sem piada nenhuma. É a vida dizem uns, é incompetência dizem outros e são gostos dirão outros por cima. A falta de explicações lógicas sempre foi o que mais me desmotivou... Nesta fotografia do Marlon, que tem power, está focada e alguma expressão (não sendo genial) o argumento do editor era que "a cabeça do surfista está numa posição errada"... Juro-vos que ainda hoje olho para a fotografia e tento perceber onde deveria estar a cabeça dele... À falta de papel para imprimir estes achados, o monitor vai cumprindo a função.

sexta-feira, 27 de março de 2015

LABORATÓRIO VS PHOTOSHOP


Muitas vezes se discute o uso ou abuso do photoshop e dessa maneira se tenta elevar ou rebaixar o fotógrafo. Eu sempre defendi que tudo tem a ver com os limites, se começamos a pintar uma fotografia (que deve viver sobretudo da luz e enquadramento) é porque alguma coisa não está bem feita. Pessoalmente abomino os HDR, acho altamente irreal e falso, não gosto nem nunca gostei, é pessoal. Não deixa de ter alguma piada que alguns fotógrafos de hoje em dia nunca tenham visto o processo de revelação e impressão de uma fotografia pelo método tradicional. Antes tínhamos as provas de contacto, hoje temos o bridge, antes as máscaras eram feitas à mão hoje temos essa função no photoshop, antes retocavam-se as fotos a pincel hoje com brush... É um pouco diferente mas o princípio é o mesmo. Eu tive a sorte de ter vivido isso de muito perto, o meu pai sempre teve laboratório em casa e sendo fotojornalista imprimia fotografias todos os dias. Lembro-me de ele repetir as revelações imensas vezes até acertar as zonas que queria mais escuras ou mais claras. O photoshop fez 25 anos e este vídeo mostra-nos o que inspirou as ferramentas da adobe e as parecenças com do photoshop com o laboratório.

terça-feira, 24 de março de 2015

MASON HO + GO PRO


Ver surfadas filmadas com Go Pro já não é novidade para ninguém, eu já estou careca de as ver. Mas ontem, resolvi ir ver o video do Mason Ho que filmava pela primeira vez uma surfada sua. Não sei se pela limpeza da água, se pelas rochas sempre a dizerem-lhe adeus (ou olá) no inside, o facto é que fiquei agarrado aos clips até ao fim. Enjoy!

Go Procho from rory pringle @ conceptblue on Vimeo.

terça-feira, 17 de março de 2015

O CALHAU DO MECO


A minha alma está parva com tamanha idiotice. Vamos a ver se percebo, uns quantos jovens (não lhes vou chamar idiotas) resolvem ir brincar às praxes para a beira mar, num sitio onde até de dia é perigoso!! são arrastados por uma onda e morrem afogados. Os familiares tentam culpar o "idiota mor" que supostamente era o líder desta merda de brincadeira, mas sem sucesso. É normal que queiram atribuir as culpas a alguém, mas humildemente acho que a culpa das mortes não é mais senão dos próprios que morreram. Fizessem-se espertos e tivessem mandado o DUX ir cagar à mata e hoje estavam vivos. Posso estar a ser insensível, frio e tudo o que quiserem, mas a verdade é esta. Só lá estava quem quis estar. Agora lembraram-se de meter uma aberração em forma de pedra espetada na areia, mas porquê??? Alguém me explica?? Se preferia que eles não tivessem morrido? obviamente que sim!! tinham uma vida pela frente... Agora se concordo com o memorial? não, não concordo. Para mim o melhor memorial seria acabarem com a estupidez das praxes, dos dux e dessa porcaria toda. Se se faz um memorial por causa disto, que se deveria fazer à centenas de inocentes que morrem todos os anos da estrada sem culpa nenhuma? que se deveria fazer às pessoas que morrem de cancro sem contra ele conseguirem lutar? Dos que morrem afogados quando vão ao banho? e por aí fora... Facilmente encontro dezenas de mortes mais dignas de um memorial que estas. Por muitas voltas que demos, somos sempre um país de palhaços.