terça-feira, 5 de junho de 2012

GHANA

O tempo passa devagar, devagarinho. As praias são lindas e a perder de vista. As aldeias são sujas, e paupérrimas, mas o povo é super simpático, e acolhedor. A comida varia ente o peixe e a lagosta, e as ondas entre boas e divertidas. Passou uma semana e meia, e parece que saí de Portugal ha um mês. Realmente é um alivio não ter nem ver televisão, não entrar no facebook nem em sites de jornais. A única relva de que ouço falar é daquela que cresce nas bermas da estrada, e não em todos os recantos obscuros da nossa classe politica. É simplesmente um descanso estar afastado de todas as mexeriquices politicas e sociais do nosso país. Africa, é um bocado como Paris (em versões opostas obviamente), tem qualquer coisa que não se consegue explicar, é preciso cá estar para sentir a "vibe" do continente. A cor, o cheiro, o povo, não têm palavras para ser descritos, apenas vividos. Como tudo o que é bom acaba depressa, em breve estou de volta. Até lá continuo a aproveitar o que de bom tem esta terra.

1 comentário:

FireHead disse...

Com todo o respeito que eu tenho pelos africanos, África é um continente perdido e que vai continuar a perder-se. Assim será enquanto a grande maioria do seu povo nativo continuar a ser o que é.