quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

VIVER DE LIKES


Começo a achar que esta história da crise é uma grande tanga. Quer dizer, não é tanga para todos, mas pelo menos para os fotógrafos deve ser. Segundo percebo há quem trabalhe para o facebook e sobreviva de likes. Provavelmente trocam fotos por mantimentos no Farmville, e dormem nos perfis uns dos outros, poupando assim as rendas da casa. Ironia à parte, continuo sem perceber o que se anda a passar. Nesta terça feira enquanto decorria o capitulo perfeito, só do lado esquerdo da estrutura contei 28 fotógrafos. Penso que desses 28 pelo menos 20 devem ser profissionais, senão não carregavam lentes como canon 400 2.8, 500, 600 , é que reparem que estou a falar de lentes que custam acima dos 5000€, coisa que é impossivel adquirir sem trabalhar, ou sem as costas quentes. Vá antes de começarem a dizer que todos têm direito a fotografar e que a praia é livre, percebam que não é isso que quero dizer. Acho muito bem que todos tenham os seus hobbys, e melhor ainda que esse seja a fotografia. Mas desculpem faz-me confusão a quantidade de páginas de fotógrafos (se é que o são) acabadas em "frames" Shoots" "photography"e por aí adiante. Faz-me confusão que o único objectivo seja divulgar as fotos, e que más que elas são!!!, angariar likes e fazer share. O mundo está confuso, e eu confuso estou. Como dizia um amigo meu, esta merda é desmotivante. Eu estive lá em trabalho, sim aquele que se faz a troco de dinheiro e onde se mete empenho, e quando olho à minha volta, os fotógrafos são mais que as mães espalhados por todo o lado e prontos a divulgar tudo e mais alguma coisa a troco de nada. Claro a desculpa é sempre a mesma, estou a começar, tenho de oferecer para ser reconhecido e ganhar notoriedade. ERRADO!!! ter visibilidade não é o mesmo que ter notoriedade, e a bem da verdade a maior parte das fotogtrafias que se vê não têm qualidade nem para circular na net, de tão banais e enfadonhas que são. Logo vão ter visibilidade, mas nunca notoriedade. A qualidade e criatividade deixou de ser recompensada, agora o que vale mesmo é ser visto por muita gente. Percebe-se que as fotografias não são pensadas, nem tão pouco enquadradas, provavelmente depois dá-se um jeito no photoshop. Enfim, isto não é mais que um desabafo, de alguém que adora o que faz, e que vê uma profissão (se é que hoje se pode chamar isso) a desaparecer muito por culpa de pessoas que viajam no seu ego em busca dos tãos almejados "likes", e que sem perceberem destroiem o trabalho de quem precisa de dinheiro real para viver, e que estranhamente não consegue sobreviver de "likes". Arrisco a dizer, que estes novos fotógrafos são os modernos grupies. O que os faz mover não é a fotografia, é a ilusão que um dia vão ter uma vida de sonho (desenganem-se que não vão conseguir), ser conhecidos e amigos dos prós todos. É uma pena, mas é a verdade verdadinha. A todos os que tiveram na terça feira a dar no duro, que o fazem diariamente e que precisam de dinheiro para sobreviver, estamos juntos na luta!! para o que der e vier. Vocês sabem quem são, não é preciso dizer;)

18 comentários:

Jorge Brito disse...

Epá!? André não concordo com o que escreves, bom texto sim senhor e coiso, mas não faz sentido pá, queres tu disser-me ou passar a mensagem de aquele que faz por carolice, costas quentes, hoobie o que raio que o parta sem receber guita alguma, não deveria estar ali a sacar umas fotos e divulga-las onde quer que seja, para não "atrapalhar" ou fazer concorrência ao profissional que recebe, mas pouco??? Ou estou a perceber mal a mensagem?? Se for esta a mensagem, só te tenho a dizer que, que é BOM ou realmente BOM, não deve nem teme e só realça o mesmo. Talvez não deverias escrever no Blogue, imagina o jornalista que realmente é pago, deve-te ter um cá um pó, ou como sabes não sou fotografo, sou uma espécie de ilustrador mal pago e sem formação, não posso divulgar o meu trabalho é isso? Percebi mal o teu texto, diz-me que sim?!!

Pedro disse...

não tenhas medo...o facebook não tem notoriedade. pelo menos ainda

Marco C. disse...

bem eu tenho um blog de "fotografia" apenas e só porque adoro fotografar e o blog é uma das formas q me mantém activo e com vontade de sair frequentemente p fotografar e dessa forma tb evoluir. Porque fotografar apenas e só p guardar as fotos no pc e vê-las sozinho tem pouco interesse... Essa partilha de imagens ajuda-me tb a ouvir criticas umas com sentido outra tlvz não, e aprender sp um pouco mais mas nunca com o objectivo de me tornar ou auto-denominar "fotógrafo" (longe disso). Tal como uns têm o hobbie de correr ou andar de btt, eu tenho, p além do surf, a fotografia (seja do que for) e não acho q alguma vez tenha tirado, nem "destruido" trabalho a qq fotógrafo profissinal. E se a qualidade do que vês por aí nos blogs for realmente sofrivel como referes, não há q ter receio por parte de quem vive da fotografia (e for bom no q faz), de ver essa profissão desaparecer. É como em tudo na vida (ou quase tudo): ficam cá os mais fortes, ou neste caso os melhores fotógrafos.
E admito sem qq pudor ou problema: não tenho uma 400 2.8, nem hei-de ter, mas tenho mta pena!! ;)
Abraço e boas fotos!!

André carvalho disse...

bem acho que não me fiz entender:)
1: jorge respondi-te via facebook, não me apetecia repetir a resposta :))

2: pedro, não tenho medo nenhum a questão não é essa

3: marco,acho muito bem teres um blog, termos um blog!! que sentido faz não partilhar o nosso trabalho? ach lindamente a tudo isso, ne está em questão isso. vivemos num mundo livre e temos direito a tudo. Mas supõe que tens um cabeleireiro e à porta esta um artista de tesoura a dizer que faz cortes grátis, fica complicado não?

Este post foi apenas um desabafo, nada mais. Eu sei que não há muito a fazer, mas eu também tenho o direito de ficar fodido por haver pessoas a oferecer literalmente o seu trabalho a troco de nada, num mercado que já por si é dificil e mal pago. Só isso.

PEACE e boas fotos:D

Adilson S.R. Vicente disse...

Viva André.

Desculpa André mas não consigo reduzir o meu comentário por estar limitado ao numero de caracteres imposto, pelo envio em duas partes.

Parte 1/2

Gostei da tua linha de ideias, por um lado compreendo a tua preocupação, por outro é um "sistema que está montado pela sociedade" e que não devemos lutar contra ele.
Passei pelo teu blog através de uma publicação no facebook e fiquei a conhecer o teu trabalho (irónico não é?) e reparei que na linha de rodapé está indicado Designer Gráfico / Fotógrafo... pois bem eu como designer gráfico profissional há 7 anos (agora no desemprego) deveria sentir o mesmo que tu referes neste post onde te intitulas como fotógrafo profissional e deveria julgar que a tua referência a Designer Gráfico deve-se ao facto de por um ou por outro motivo de tratamentos de imagem ao que o teu trabalho está sujeito já te deves considerar um designer... mas não :) (desculpa a frontalidade ou ironia é apenas para ligar a minha ideia)
O problema está na confusão que as pessoas fazem em relacionar a sua actividade profissional com o lazer e ainda o que as pensam que por conseguirem um resultado pretendido já se acham profissionais da "cena".
Hoje em dia o conceito criado à volta dos especialistas de determinados ramos/actividades acaba por desorientar a relação directa entre função>profissional. Senão vejamos, na minha área (design) existe todo um vasto de sub-áreas que estão a ser sucessivamente postas umas em cima das outras e confundidas, um designer gráfico não a mesma coisa que designer web, um designer de produto não a mesma coisa que um designer editorial, as bases para estas actividades são de um modo geral bastante diversas, não só porque tem o programa aberto que pode produzir qualquer coisa... da mesma forma que um fotógrafo de moda não é a mesma coisa que um fotó-jornalista, um fotógrafo de produto não a mesma coisa que um fotógrafo de estúdio, não é só porque sabe fotografar que pode criar qualquer coisa... aqui (tanto no design como na fotografia) existe sempre a relação intrínseca de que se trata tudo do mesmo.
(… continua em parte2/2)

Adilson S.R. Vicente disse...

Viva André

Parte2/2

Deste modo, e que porque todos estão sujeitos, qualquer amador pode encontrar numa destas áreas uma paixão que por de uma forma ou outra se pode traduzir numa excelente resultado final. Por outro lado alguns resultados quando não têm valor e são alimentados por simpatia e têm um feedback de revolta por parte dos "profissionais"... e aqui o que é um profissional? É aquele que tirou uma formação e tem negócio aberto? É aquele que cobra pelo seu trabalho e é bem sucedido nas vendas? Ou também é aquele que passou grande parte da sua vida sem receber notoriedade por não ter visibilidade ao ser abafado pelos nomes profissionais e tem falta de canudo? É uma questão que eu já vi levantada em muitos blogges, portais, sites, revistas, etc... e será sempre uma questão sem resposta equiparada ao eterno mito "Quem nasceu primeiro, a galinha ou o ovo?", aqui pergunto "Quem nasceu primeiro, o artista ou o profissional?"
Em resumo, gosto da tua preocupação, eu também já me senti assim, mas encontrei uma resposta: se existem "esses" que se intitulam designers só porque têm um computador e sabem mexer no Photopshop, então eu tenho de mostrar que sou melhor que eles e fortalecer a confiança dos mercados e dos clientes, até que por vezes mesmo os amadores são melhores que eu... grrrrr. Estas questões profissionais aparecem sempre quando sentimos que o nosso resultado final está a ser superado por outro profissional/amador, e resposta está nas nossas mãos em fazer mais e melhor, não está em descriminar ou rebaixar o trabalho de outros por muito mau que seja, para isso é preciso entender o seu conceito e se isso acontece (mais uma vez) é porque o nosso conceito ou não está bem alinhavado ou tu não acreditas nele e perde a força.
Espero ter-me feito entender, não quero criticar a tua ideia que tem fundamento, por vezes temos de ver o lado artístico (quando existe e que pode nascer de qualquer lado) e deixar de parte um pouco o que é o conceito do trabalho profissional (que não passa de uma forma de fazer dinheiro).
Espero que não me tenhas entendido mal mas é a visão de um Artista Plástico que se especializou em Design durante a formação e já trás a paixão da fotografia desde muito novo, porque os conceitos estão ligados: técnica>conceito artístico. E o mesmo deveria acontecer na fotografia, não é porque fotografei durante toda a minha formação e sei mexer na minha máquina de olhos fechados que já posso ser um bom fotógrafo e criticar o que o trabalho alheio.
Há lugar para todos, e cada um deve procurar o seu… alimentando-o e valorizando-o para que os outros o possam receber da forma que pretendes comunicar.
André um abraço e continua com o teu excelente trabalho que já tive o prazer de ver, belas chapas ;)

Adilson S.R Vicente

PS: não pretendo que aproves o comentário, apenas queria passar-te esta ideia que não sei se está errada ou não... mas é a minha visão nos tempos que hoje correm e pelo que já fui confrontado no meu ramo.

Marco C. disse...

mas certamente q esses cabeleireiros q fazem cortes grátis não conseguem vingar e darão muitas tesouradas em falso e rapidamente desaparecem ;) Eu percebi o teu desabafo, mas seguramente q esse tipo de "fotógrafos" q vês p'las praias não irão conseguir vender / oferecer as suas fotos a uma revista de surf. Acho, sinceramente, q o teu trabalho (pela qualidade q tem) está seguro. E mais te digo que acompanho mto as tuas fotos e do Ricardo Bravo e nelas tento aprender o q consigo acerca de enquadramentos e fotos fora do vulgar. Faço um "like" nas tuas fotos! ;) Abraço!

Luis Boal disse...

O problema é que hoje todos são "fotografos". Se fotografam de lentes 400, 500 e 600 então pode ser que ainda se aproveitem um pouco em termos de qualidade de imagem. Mas o pior ainda não é isso. São as empresas que se aproveitam dessa tal "visibilidade" e aproveitam as fotos (muitas delas horríveis, desfocadas, desenquadradas, etc) para não as pagarem e terem conteúdos (maus) para os seus sites e revistas. O que eu entendo como um enterro no negócio. Pois começam a ter artigos de má qualidade. Enfim é o que eu chamo a "prostituição fotográfica".

Continuem, lá por onde quiserem....

Lamas disse...

André, o problema não são os fotografos ou os que gostam de tirar fotografias ou mesmo os cabeleireiros grátis ...o problema é quem paga, compra ou adquire cortes grátis, sem olhar á qualidade. Até podem estar 30 "artistas" de tesoura em riste á borla , mas se quero qualidade então tenho de estar disposto a pagar por isso...
Abraço

André carvalho disse...

Oi Adilson, obrigado pelos comentários. Pessoal, este post foi apenas um desabafo, eu não quero que ninguém deixe de fotografar e de publicar. Eu próprio não queor castrar ninguém, paz para todos e boas fotos.
Adilson, eu sou formado em deisgn gráfico,e sou um dos sócios fundadores da GOMA (www.goma.pt), aliás eu sou muito mais designer que fotografo, profissionalmente falando.
Mas acho que todos têm razão, cada um à sua maneira.

PEACE!!

João disse...

André, tens feito um grande trabalho como fotografo, altas fotos de surf... A fotografia como dizes acima no teu texto é um hobby para muitos mas também é um escape para os diversos problemas que nos vêm a aparecer. Eu tenho uma página no facebook e sim acaba em photography e por lá partilho as minhas fotografias. Não sou fotografo profissional um dia mais tarde quando acabar este curso universitário o passo seguinte é colocar-me num curso superior de fotografia. Sabes a pintura também é um hobby e não é por isso que a Paula Rego se sente ameaçada por haver por aí pessoas a pintar e a divulgar a sua pintura no facebook ou mesmo na rua e sim podem ganhar alguma coisa em troca ou não. Porque raio não posso eu ir fotografar para a praia e depois postar algumas fotografias no meu blog, facebook...etc, ter fotografias no computador só para eu ver e familiares verem, pelo menos posso fazer alguém "feliz" por ter a sua fotografia a fazer surf bodyboard entre outras coisas. Existem muitos fotografos a começaram por baixo sem ter sequer um curso superior e agora trabalham em agências de viagens, revistas e se agora fores perguntar se eles têm algum curso, alguns te vão responder que sim outros dizem que aprenderam com a sua experiência. Olha aqueles músicos de rua passa lá um gajo da banda da GNR e saca-lhe o instrumento porque aquele que está na rua a tocar e a ganhar alguns trocos não pode lá estar porque nem aulas de música teve nem formação.
Sabes eu tenho ganho ZERO na minha partilha de fotografias, mas também não é esse o meu objectivo, apenas partilhar as minhas fotografias, se não gostas diz, fala com a pessoa e explica olha deves melhorar naquele aspecto, mas sim acredito que ninguém vai dizer nada e as pessoas vão continuar por aí. Já vi excelentes fotografias que por vezes comparar com as de fotografos profissionais são um pouco melhores a nível de acção de surf ou de skate e de natureza, mas como são amadores nunca vão ter a sua fotografia publicada na revista. Eu vivi muitos anos na Austrália e por lá fiz diversos amigos muitos deles são fotografos amadores passam dias e dias na praia, um deles consegui publicar uma fotografia sua numa revista de lá, mas não foi porque a sua fotografia era brutal, era porque o editor/dono da revista é familiar desse rapaz, sim é uma dita cunha, e por aqui também não haverá esse medo ?

Anibal disse...

deixa me dizer te que não tens razão alguma no que dizes ! agora os profissionais andam com medo do freelancer ? pois devem de ter sim pois os profissionais só fazem por dinheiro nos vamos a todo o lado

Quero um trabalho de impacto , algo que faça subir adrenalina ,que inunde o cérebro com a possibilidade de fazer fotos poderosas .

André carvalho disse...

Anibal, o não ter razão é sempre subjectivo, caso não saibas há várias razões, basta haver vários pontos de vista. Se leres o ultimo post provavelmente tinhas percebido isso.

abraço

Adilson Vicente disse...

Viva André, desde já obrigado pela publicação do meu comentário.
Estes espaços servem mesmo para isto, debate aberto da melhor forma... caso contrário não teria os comentários que tem :)
Pois como vi que o teu comentário vinha no seguimento do fotografia fiquei logo com a ideia que te indiquei.
Já agora aproveito para dar-te um daqueles PARABÉNS GRANDES... EXCELENTE trabalho de design, a sério (Goma).
Abraço e continua.

Adilson Vicente

André carvalho disse...

grande adilson! aquele abraço!

Anónimo disse...

Epá... Concordando ou não, gosto sempre de quem diz o que pensa!
Nem que seja em tom de desabafo mais ou menos a quente, mais ou menos reflectido.
E concordo contigo quanto à péssima qualidade de muitas fotos que aparecem por aí em blogs, facebóks e outras m....s que tais! Nalgumas chego-me a perguntar se máquina ou o photoshop não estará avariado... Mas o que me irrita mesmo é encontrá-las em revistas e outras publicações especializadas... E muitas vezes tiradas pelos supostos prós da coisa (o que não se aplica, claramente, às tuas chapas nem às do Ricardo Bravo nem às de mais dois ou três que andam por aí).
De resto acho que não te deves maçar muito a pensar nisso. Uma boa chapa é sempre uma boa chapa e quantas vezes não encontramos as melhores tiradas por amadores ou por "prós" quando nem sequer estão a trabalhar. O resto deixa lá... boas, más ou péssimas sempre servem para se aprender a ver o mundo de outra maneira. E espreitar através daquele buraquinho com luz é pura magia.
Zé Pedro Alvarez

Luis disse...

Caro,
Antes de mais devo dizer-te que te fica muito mal esse tipo de observação. demonstra até alguma insegurança e aquele sentimento tão tipico do Portugues, a mesquinhez.
Tu fotográfas Surf, já pensaste que se o surf fosse vedado apenas a profissionais provavélmente já não existia enquanto modalidad com profissionais para tu fotografares??? ..haaa não é a mesma coisa... é sim!
Lembra-te que não nasceste fotografo profissional e que certamente também tu tiraste fotos "por conta propria", apenas porque sim porque te dava gozo.
Se um miudo te abordar na praia e te disser que aprecia o teu trabalho, e te pedir umas dicas, vais responder-lhe o que? Vai mas é trabalhar!!! é isso?
Faz o teu trabalhinho e deixa o mundo rolar.

André carvalho disse...

Luis, tenho pena que a tua compreensão da lingua de Camões, não te deixe ir mais além.... enfim.
abraço